Nascer do sol em Serra de São Bento, RN | Foto: Washington Vaz

O verão de Recife é intenso e apelidado de “cruel” por muitos. Quando setembro inicia, temos um bom motivo para reclamar das corridas de rua com largada às 7h. Mas é para reclamar mesmo? O sol é inimigo do corredor?

Tudo é uma questão de costume

No início você respirava como um cachorro exausto depois de 1km. Assim começa todo corredor e assim é com o sol. É bem verdade que o sol nordestino não é dos mais fracos e, quanto mais próximo da linha do Equador, mais perto nos sentimos de um test-drive para o inferno (brincadeira, viu pessoal?).

Correr durante o dia não faz mal. Os especialistas, contudo, indicam evitar o sol forte (10 às 14H) porque exige mais do corpo. Aumenta o contato direto com os raios solares nocivos à pele, aumentando as chances de desenvolver câncer de pele .

Mas voltamos à questão de costume. Se o corpo se acostuma, você nem sente mais. O que não vale é correr sempre à noite e se inscrever em uma prova de dia. Você vai sentir. 

O segredo é treinar de acordo com a sua prova alvo. Em Recife mais de 99% das provas são de dia. Sendo mais específica, temos duas provas noturnas no momento: Night Run e Corrida Eu Amo Recife. Logo, se você quer participar de uma prova de corrida, precisa sentir o sol, testar e avaliar como seu corpo se comporta. 

Alguns testam no dia da prova e se dão muito bem. Outros nem tanto. Uns passam mal pelo calor, sentem dores de cabeça, enjoo (meu caso) e há diarreia. O intestino sente o esforço de acordo com a sua alimentação e o nível de desidratação também. Ou você acha que os banheiros químicos ficam tão sujos só por conta do nervosismo dos atletas? Tem gente que quando está tão quente não aguenta nem chegar a um banheiro químico e faz um pit stop no percurso mesmo. 

O sol exige cuidados especiais

Essa conversa de protetor solar todo mundo já sabe. A mídia informa todos os dias sobre sua importância, os médicos e está no bate papo dos corredores. Contudo, nunca é tarde para relembrar que o protetor solar é importante contra os raios ultravioletas do sol na pele, correto? Isso sem somar ao vermelhidão e ardência que a pele fica após a corrida.

No sol desidratamos mais, então é importante também manter o consumo de água em no mínimo dois litros por dia. E vale também pensar no percurso com a boa velha mochila de hidratação, um cinto ou é só treinar segurar uma garrafinha na mão mesmo que ela não atrapalha quem não é da elite. 

A alimentação também é importante e não estamos falando do café da manhã. É cuidar antes mesmo. Seu corpo leva um tempo para digerir e não são 5 minutinhos não, são horas de digestão. Então o que você come no dia anterior. Correr no sol exige mais energia e é preciso ter reservas para isso. Logo, consulte seu nutricionista ou um médico competente. 

Sol é vida!

As provas são de dia, o sol está aí. Então é melhor aceitar a realidade. Correr de dia aumenta a disposição e deixam uma sensação gostosa incrível. Melhoram os níveis de vitamina D e por consequência a sua imunidade. Aproveite! 

Artigo anteriorNew Balance lança tênis FuelCell RC Elite v2
Próximo artigoGladination volta a desafiar corredores em sua sétima edição

2 COMENTÁRIOS

  1. Não concordo muito com isso, pois, a maioria de nós corredores acordamos tão cedo para correr, entre 04:30 e 05:00h, no entanto nas corridas de rua as provas em sua maioria só iniciam às 07:00h, que aqui em Recife/PE já estamos com o sol a pino.
    Dessa forma, nosso corpo já está acostumado a correr com o sol um pouco a menos e o calor desgasta muito, o que acaba fazendo muitos corredores não se sentirem bem ou passarem mal, e para aqueles que gostam de marcar o pace, esse aumenta bastante.
    Creio que seria o caso de os organizadores reverem este horário e as provas começarem pelo menos ou no máximo às 06:00h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui