Corrida ajuda a prevenir Alzheimer, mostram novas pesquisas

0
66
corredor na terceira idade

Sua corrida é mais do que um treino para os músculos – ela também mantém seu cérebro saudável. Pesquisadores da Universidade de Zurique desvendaram os efeitos protetores das atividades físicas e sociais na saúde cerebral de adultos mais velhos, conforme relatado no Neuroscience News. Embora muitas vezes celebremos os benefícios cardiovasculares da corrida, este estudo investiga como o exercício protege o cérebro do declínio relacionado à idade.

O estudo

O estudo, realizado ao longo de sete anos, abordou a região do cérebro que é vital para a aprendizagem e a memória e propensa à doença de Alzheimer – o córtex entorrinal. Os cientistas investigaram as relações entre a espessura do córtex entorrinal, o desempenho da memória e as atividades de lazer em adultos cognitivamente saudáveis com mais de 65 anos.

Os pesquisadores descobriram que quanto menos a espessura dessa estrutura cerebral diminuía ao longo do estudo, menos o desempenho da memória era reduzido. O aumento da atividade física e social retardou significativamente o adelgaçamento do córtex entorrinal, preservando, em última análise, a memória.

Lutz Jäncke, supervisor do estudo, afirma: “O exercício físico e uma vida social ativa com amigos e familiares são, portanto, importantes para a saúde do cérebro e podem prevenir a neurodegeneração mais tarde na vida”. Isabel Hotz, uma das autoras do estudo, observa: “Essas descobertas apoiam a ideia de que temos uma ‘reserva cognitiva’ e que o cérebro pode ser treinado ao longo da vida como um músculo para neutralizar o declínio relacionado à idade”.

A investigação baseia-se em um estudo publicado no início deste ano que determinou que o exercício a longo prazo beneficia profundamente o envelhecimento do cérebro, aumentando a sobrevivência e modificando a rede dos neurônios nascidos durante o início da idade adulta. A neurogênese é a criação de novas células cerebrais, algo que os cientistas descobriram ser possível ao longo da vida, facilitando assim a sua participação nos processos cognitivos.

A conclusão

Lutz Jäncke, supervisor do estudo, afirma: “O exercício físico e uma vida social ativa com amigos e familiares são, portanto, importantes para a saúde do cérebro e podem prevenir a neurodegeneração mais tarde na vida”. O estudo reforça que ser ativo física, mental e socialmente ao longo da vida compensa na preservação da função cognitiva. Correr regularmente (pontos extras se você se juntar a alguns amigos para adicionar um componente social) manterá sua memória afiada à medida que envelhece – mais um motivo para calçar seus corredores e sair pela porta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui