Um amante de corrida de rua costumeiramente gosta de um grande evento. São muitos banners e totens para fotos, um percurso seguro e todo sinalizado com fotografia profissional para guardar no coração e nas redes sociais o momento.

Inegável o poder dos grandes eventos para a corrida de rua. Ela atrai novos atletas amadores, incentiva os profissionais no treino com suas premiações. A divulgação é incrível também! Contudo, não representam todos os eventos do esporte. Temos os pequenos também, viu!

Conhecendo os pequenos eventos

Nem toda corrida tem um banner legal ou um kit com garrafinha de vidro. Ou entrega do kit no Shopping Rio Mar. Entretanto, ele pode ser igualmente legal e até uma experiência diferenciada.

Os eventos pequenos são aqueles realizados por organizadores menores, os quais não fazem parte do grande circuito do calendário do Estado e até acontecem no mesmo dia de um gigantesco. E tudo bem porque eles nem comportam um grande público e não pretender roubar inscritos. Possuem público próprio.

No geral, são ignorados porque envolvem em torno de 150 participantes. Pode parecer muito para alguns, mas 150 pessoas em um circuito representa menos de 10% de um Circuito das Estações em Pernambuco. Quando falamos pequeno, queremos dizer pequeno mesmo!

Na maioria das vezes eles estão no calendário do PE Running porque o organizador entra em contato com o cara do chapéu de palha segurando uma GoPro nas corridas. Ou são compartilhados nas redes sociais timidamente, apenas entre amigos no WhatsApp ou um perfil do Instagram.

Um evento pequeno pode ser muito bom, viu!

Os kits são simples e na maior parte das vezes envolve apenas camisa, número do peito e medalha. Quando são bem pequenos mesmo contam apenas com a medalha de participação mesmo em metal, às vezes resina ou MDF.

E se você não é um fã de um grande evento ou nunca deu uma chance aos menores, saiba que eles podem ser muito bacanas. Acredite, podem sim! Sabe por que? Porque eles tem algumas coisas a oferecer que os grandes não conseguem.

Gravamos no Papo Corrida um episódio sobre corridas do interior com o nosso muso Carlos Beltrão. Ele é um amante de eventos de menor porte tanto quanto essa que vos escreve e o cumpade Washington. E citamos alguns pontos legais.

Um deles é o diferencial da hidratação. No aniversário do grupo TamuJunto na Pista de 2020, por exemplo, a hidratação foi composta de cuscuz, sucos, refrigerantes e uma máquina de raspa-raspa com recarga ilimitada. E quem está lendo e é do nordeste pode sentir uma atração por um raspa-raspa de morango com coco no final do evento, hein? Vivenciando o calor intenso do Recife é sempre uma boa pedida.

O aniversário do DNA de Aço de 2018 forneceu picolé para os inscritos como pós-prova. A Corrida do Marinheiro de Carpina lançou a moda do pão doce com caldo de cana ao final, repetida em outros com enorme sucesso como a Fusion Trail Run. São sempre ideias diferenciadas.

E os percursos são bem diferentes porque, no geral, buscam-se ruas residenciais e alternativas. Se você mora em Recife, possivelmente seu tênis preferido pode percorrer sozinho a rua da Aurora. Entretanto, correr nas ruas do Alto José do Pinho ou conhecer o centro de Carpina é algo novo para alguns. Ou uma trilha em fazenda fechada ou circulando Vila Velha, em Itamaracá.

Fazendo uso de percursos paralelos para não precisar de autorização dos órgãos de trânsito, as corridas menores buscam alternativas diferenciadas. São ruas novas, casas novas e terrenos novos. Em outras palavras, novos desafios.

De vez em quando um organizador brinca com a dificuldade com uma altimetria nas ladeiras, por exemplo. Um bom exemplo é o Desafio dos Montes, já na sua quarta edição. Correr no Monte dos Guararapes para algumas pessoas representou uma nova oportunidade de treino com direito a medalha. São desafios novos para os pés e pernas.

Estrutura não é tudo

Os grandes eventos de corrida de rua fornecem sim todo o aparato para um bom evento. Há ainda a estrutura médica, a hidratação pós corrida e um bom sistema de som. Mas quando se trata de experiência, os pequenos podem ganhar, OK?

As 4 corridas em um único Circuito das Estações são legais e com a finalidade de comparar o pace para entender a sua evolução. Contudo, ainda são 4 corridas no mesmo lugar. E outras são realizadas no mesmo lugar, partindo do mesmo estacionamento. E o Forte do Brum a gente já conhece muito, não é mesmo? Sem contar a largada no Shopping Paço Alfândega.

Ao menos uma vez na vida o corredor de rua recifense ou de outros estados deveria dar uma chance a uma corrida pequena. Um evento com uma medalha um pouco menor, talvez sem tantos brindes no kit, mas com muitos pontos legais e experiências incríveis. Vale a pena experimentar.

Artigo anteriorNike apresenta nova coleção de Eliud Kipchoge inspirada em suas raízes quenianas
Próximo artigoMizuno apresenta o seu 22º modelo da linha Creation

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui